Afinal, o Que é Yoga?

Ceres Moura

Yoga é uma filosofia de vida e prática de ascetismo originada na Índia, que data de mais de oito mil anos. Foi desenvolvida pelos rishis (sábios, videntes) e mais adiante eternizada pelos Nathas, uma linhagem de ascetas extraordinários, descendentes diretos do Grande Shiva, Mahadeva,  Adi Natha, o primeiro da linhagem, criadores do Hatha Yoga. Visa autoconhecimento, equilíbrio, bem-estar,  saúde e integração humana de corpo-mente-espírito. Os adeptos buscam um estado de permanente atenção sobre si mesmo e sobre o ambiente que os rodeia, desenvolvendo um sentido de estar sempre presente no aqui e agora. 

Para se alcançar as metas superiores do Yoga, como a expansão da consciência, a iluminação e a libertação da alma, o aspirante vale-se de inúmeras técnicas psíquicas e corporais, que devem ser executadas com frequência e determinação. Os exercícios yogis vão desde posições físicas (ásanas)  bem simples de equilíbrio, flexões, torções e aberturas pélvicas, até outras desafiadoras posições de força, resistência, contorções e invertidas que são aprendidas paulatinamente e avançadas conforme o praticante vai vencendo os obstáculos e ganhando novas habilidades.

Existem também os exercícios respiratórios (pránáyámas), essenciais para o domínio dos impulsos naturais do corpo e da mente. Pelo controle e pela expansão do prána (bioenergia) que circula por milhares de canais sutis, alcança-se um nível superlativo de vitalidade, saúde e longevidade.

Os Nathas também desenvolveram incríveis exercícios de purificação das mucosas internas (kriyás ou shatkarma), com a ideia de limpar não somente as partes externas do corpo, como fazem os ocidentais, mas também as entranhas mais profundas, onde se depositam as toxinas de nível material, emocional e psíquico. Para tal usa-se água, sal, ervas e alguns instrumentos e deve-se aprender de um professor capacitado.

O Yoga oferece ainda técnicas de cantos vibracionais (mantras), uma ciência específica para desbloquear os canais energéticos, focar a mente, conectar o adepto às Dimensões Superiores e às Divindades, promovendo um estado de serenidade e expansão. Os mantras são coadjuvantes dos pránáyámas, do relaxamento, da concentração e da meditação. Estas últimas são fundamentais para a limpeza dos velhos padrões (samskáras) e posterior evolução na senda do Yoga, pois estabiliza as ondas mentais, proporcionando clareza, discernimento e estados avançados da consciência.

Dentre os inúmeros benefícios do Yoga podemos citar que:

 

  • Aperfeiçoa a consciência corporal e a coordenação motora

  • Melhora o equilíbrio físico, emocional e mental

  • Promove o alongamento muscular e a descontração das fibras musculares

  • Aumenta a abertura pélvica e abertura da caixa torácica

  • Aumenta a flexibilidade, a mobilidade e a força articular

  • Proporciona tonificação, aumentando força, resistência e definição dos músculos

  • Promove o alinhamento e a correção postural, aumentando os espaços intervertebrais e descomprimindo os discos, favorecendo a saúde geral da coluna

  • Massageia e tonifica os órgãos internos, promovendo ótimo funcionamento das vísceras

  • Promove ótimo funcionamento do coração e da circulação sanguínea geral

  • Irrigação cerebral pelas posições invertidas, favorecendo a memória, a cognição e a longevidade

  • Equilibra o sistema nervoso, promovendo concentração, serenidade e capacidade de decisão acertiva

  • Equilibra o sitema hormonal,  favorecendo a eliminação de peso pela diminuição da ansiedade e pela estimulação da tireóide; também melhora a libido e o desempenho sexual

  • Fortalece sistema imunológico, reduzindo tendência às gripes e infecções

  • Inúmeros outros benefícios também envolvendo o campo físico, energético, emocional, psíquico e espiritual

E é devido aos tantos efeitos positivos que o Yoga atravessou milênios, sendo transmitido de mestre a discípulo pelo sistema parampará, e hoje conta com milhares de adeptos pelos quatro cantos do mundo, caminhando na senda da transformação pessoal.

 

OM NAMAH SHIVAYA!

 
Show More
 

Adotando o Yoga como Profissão

a partir das práticas de Aprimoramento Pessoal 

  por Ceres Moura

 

“O guru é a primeira letra, o discípulo é a última.

O conhecimento é o ponto de encontro, a instrução é o elo.”

(Taittiríya Upanishad)

 

Adotar o yoga como profissão é ir muito além do conhecimento teórico. Instrutores ajustados logo percebem que aplicar o yoga na vida cotidiana faz parte da sua profissão. Sendo assim, não basta executar ásanas avançados, testar inúmeros pránáyamas e conhecer muitos mantras, sem que os ensinamentos façam parte do seu próprio estilo de vida. O saber é importante e o viver é essencial.

O grande desafio para instrutores de yoga é conseguir aplicar os ensinamentos dessa escola tanto no seus relacionamentos humanos como no seu corpo, nas suas emoções, na sua mente e no seu modo de estar no mundo. A melhor forma de aprender e assimilar a teoria certamente vem pela experiência.

O primeiro passo sugerido para quem quer adotar o yoga como profissão é adotá-lo primeiro como modo de vida. Entender e aplicar os yamas e niyamas - normas éticas ensinadas por Sri Patáñjali - são o alicerce da prática cotidiana e do aprimoramento pessoal. Quando esses princípios estão bem sedimentados na vida do yogin, naturalmente refletirá nas aulas ministradas.

Instrutores de yoga cotumam ser um guia para aqueles que se iniciam na senda e por isso devem esmerar-se em ser  exemplos daquilo que preconizam. A verdade é uma das normas éticas (satya), significando ter coerência entre pensamento, palavras e ações. Assim, é fundamental que desenvolvam o discernimento e contínuo aperfeiçoamento para que não sejam como cegos conduzindo outros cegos.

A Bhagavad Gitá recomenda perfeição na ação! No entanto sabemos que todos nós encarnados neste planeta somos falíveis, pois estamos aqui em processo de aprendizado e lapidação.  Reconhecer e aceitar as próprias imperfeições é um pré-requisito para a transformação. Podemos ser complacentes, mas não indulgentes, pois tal atitude nos levaria à estagnação.

Para se aprimorar, instrutores devem praticar austeridades, controle sobre si mesmo (tapas), a não-ganância ou desapego (aparigraha) e a rendição (Ishwara pranidhana), conectando-se às Forças Superiores que cooperam na superação dos limites, no despertar do potencial interno e  na evolução. A meditação também é ferramenta das mais preciosas, pois é no silêncio e na auto-observação que ocorre a união (Yoga).

 

 

Tempo de formação:

A forma mais segura e garantida para iniciar-se na carreira de instrutor e alcançar o sucesso, consiste em seguir um caminho gradual e honesto: 1) Fazer primeiramente um curso de formação, que dura cerca de um ano; 2) Nos anos seguintes frequentar cursos de revisão e intensivos para aprofundamento; 3) Cursar especializações nas modalidades com as quais sentir mais afinidade.

Nos cursos de formação o aspirante é introduzido na milenar filosofia do Yoga, subindo os primeiros degraus deste vasto conhecimento e tornando-se apto a lecionar. Cada degrau seguinte é um novo desafio, e os ensinamentos são tantos que é preciso anos e anos de estudo (swádhyáya) e prática (sádhana) para assimilá-los devidamente, num exercício permanente de crescimento pessoal.

Na verdade, a formação completa dos instrutores de yoga é bastante longa. Podemos dizer que é ilimitada porque se prolonga por toda a vida.

 

Pré-requisitos para ser um bom instrutor:

  • Conexão com o mestre interno, com os mestres terrenos e com os mestres ancestrais, que vão inspirar e guiar o seu trabalho.

  • Fidelidade à linhagem tradicional do Yoga, com abertura para abordagens complementares enriquecedoras.

  • Bháva, sentimento de devoção, correta intenção e entusiasmo.

  • Autoconfiança, auto estima e manutenção do equilíbrio psico-emocional.

  • Vontade firme, persistência e disciplina.

  • Vigilância permanente e disposição para superar os obstáculos.

  • Integração, educação, gentileza, simpatia, alegria e entusiasmo.

  • Olhar atento para reconhecer as necessidades dos seus estudantes, a fim de cooperar adequadamente no desenvolvimento daqueles que te encontram.

  • Adquirir excelência técnica pelo estudo consistente e pela prática regular.

  • E, finalmente, senso administrativo para crescer na profissão de instrutor de yoga.                                                                                                

Show More
 

O Que todo Instrutor de Yoga deve saber

para Ensinar com Segurança

por Ceres Moura

Yoga é uma tradição ancestral, filosófica e prática, que nos ensina a manifestar nosso potencial humano pleno. Embora tenha sido desenvolvido intuitivamente pelos grandes sábios da Índia há mais de oito mil anos, pertence a toda a humanidade, pois é eterno e atemporal.

Esse sistema holístico de saúde favorece a impressionante capacidade de cura para os desequilíbrios do corpo e da mente, sendo preconizado pelo Ayurveda, a mais antiga medicina do planeta. Nas últimas décadas expandiu-se amplamente por todo o mundo beneficiando milhões de adeptos e aos poucos ganhou credibilidade até entre os mais céticos, passando a ser aceito e recomendado pela comunidade médica ocidental, como prática complementar de saúde.

Hoje percebemos com entusiasmo os Cursos de Formação de Instrutores de Yoga multiplicando-se em todo mundo. No Brasil são inúmeros, oferecendo diversas disciplinas tradicionais e contemporâneas, fundamentais para a capacitação profissional dos aspirantes.  Dentre essas podemos citar: A História do Yoga; Linhagens do Yoga, Escolas e Modalidades; Principais Mestres; Dárshanas, os seis pontos de vista ortodoxos; Noções fundamentais de Sámkhya, Tantra e Vedanta; Fisiologia Sutil: Nadís, Chakras e Kundalini; Siddhis, os poderes paranaturais; Anatomia e Fisiologia Aplicada; A Ética no Yoga; Noções Básicas de Sânscrito, a língua matriz; Cultura e Literatura Indiana.

Geralmente são estudados os principais shastras (escrituras): Yoga Sútra de Patánjali, Hatha Yoga Pradípika, Gheranda Samhita, Bhagavad Gita, Yoga Upanishads, e outros que podem variar conforme o foco do professor. A mitologia hindu também é ressaltada, aprofundando nosso entendimento sobre os símbolos, que representam os diversos aspectos da existência humana e as múltiplas facetas da nossa busca pelo autoconhecimento e aperfeiçoamento.

Bons formadores de instrutores transmitem com rigor técnicas tradicionais como: pújás (oferendas), mudrás (linguagem gestual), mantras (sons sagrados), kriyás (práxis de purificação), pránáyámas (respiratórios), ásanas (posturas psicossomáticas), drishti (fixação ocular), bandhas (ativação e direcionamento da bioenergia), yoganidrá (relaxamento), pratyáhára (abstração dos sentidos), dhárana (concentração), yantras (diagramas geométricos), dhyána (meditação), sankalpa (propósito), nyása (identificação), além de Agni Hotra, Sat Chakra e Chakra Pújá (rituais).

Didática e Metodologia ensinam como montar sequências criativas de diferentes níveis de exigência, respeitando o balanceamento de ásanas; alinhamento corporal e energético; como fazer ajustes e correções; aplicações terapêuticas das técnicas, contra indicações e cuidados especiais; aulas temáticas inspiradas na filosofia e mitologia; como usar acessórios de apoio (props); como assumir a profissão com competência e divulgar suas atividades.

Numa abordagem holística e transdisciplinar em sintonia com a nova consciência planetária, temas afins e disciplinas complementares permeiam o programa oficial: Ayurveda Básico, Culinária Vegetariana, Coreografia de Ásanas e Mudrás, AcroYoga, Danças Sagradas, Shiva Nataraja, Roda de Kirtans, Yoga para os Olhos, Jogos Cooperativos, Comunicação Não Violenta,  Confecção e Uso de Jápa Mála, Toque e Sensibilidade, Aromaterapia e Práticas de Sustentabilidade, realçando o compromisso verde dos yogins.

Além de tudo, uma formação séria costuma inserir um estágio supervisionado obrigatório, no qual o estudante coloca em ação aquilo que está aprendendo. A forma que proponho consiste em realizar Projetos de Ação Social em bases voluntárias, compartilhando os ensinamentos em comunidades menos favorecidas. Mundialmente a carga horária padrão dos cursos de formação é de no mínimo 200 horas e exige 80% de presenças. Nosso curso oferece 280 horas, sendo bem completo em sua abordagem multidimensional e integrativa. As avaliações variam conforme a visão e os critérios dos professores, mas todos consideram o grau de aprendizagem,  ética e o comprometimento d@ aspirante. O ideal é que o certificado seja reconhecido por uma Entidade de Regulamentação da Classe. A entidade que somos filiados e reconhece nossos certificadosé a Aliança do Yoga, por sua seriedade.

 

 

Show More
 

Resgatando a Essência do Yoga

por Ceres Moura

 

 

Supervalorizado nos tempos atuais, o yoga tem sido alvo recorrente aa mídia. Nas revistas de saúde, autoajuda e boa forma desperta o interesse do público para o potencial físico que suas práticas corporais oferecem, em consonância com o equilíbrio emocional e mental que os adeptos podem em médio prazo alcançar.

 

Muito mais profundo do que tratam tantos artigos das revistas populares e reportagens na televisão, para perceber a enorme força do yoga só existe um caminho: estudar e praticar!

 

Yoga é união e visa à integração do indivíduo em todos aspectos de sua existência multidimensional. Como um microcosmo em evolução, o ser vivente desenvolve a comunhão consigo mesmo, com o próximo, com as forças da natureza e com o macrocosmo infinito.

 

Esta ciência universal prima pela liberdade de expressão, pela sabedoria consciente, pelo reencontro de uma espiritualidade sem distorções e pela busca incessante da Verdade Absoluta, priorizando a "perfeição na ação" e o "desapego aos frutos da ação", como nos mostra claramente o Bhagavad Gítá.

 

Através de princípios fundamentais, o yoga preconiza o controle das emoções destrutivas (ira, inveja, orgulho, arrogância, ganância, juízos equivocados, mentira, distorção, omissão, violência e crueldade) e o desenvolvimento firme de virtudes construtivas (ética, humildade, fraternidade, benevolência, generosidade, tolerância com as diferenças, compaixão, honestidade, serenidade, alegria, espontaneidade, discernimento e bom senso).

 

O yoga antigo, do período arcaico, remonta ao mitológico Shiva, arquétipo do ser humano absolutamente desenvolvido em todas as suas potencialidades. Em sua origem ancestral o yoga não era dividido em tantas linhas e modalidades como as que hoje conhecemos; apresentava-se como um sistema holístico único e complexo, não pertencente a nenhum dogma ou doutrina específica, sendo denominado simplesmente YOGA, cujas práticas principais era o ascetismo e ameditação, bastando para tanto meia dúzia de posições sentadas.

 

No decorrer da evolução humana e em virtude das diferentes maneiras individuais de ser, pensar e agir, tanto dos mestres como dos aspirantes, muitos métodos foram desenvolvidos com o intuito de expandir o aprendizado universal e adaptar a prática de acordo com funções terapêuticas e necessidades dos novos tempos.

 

É importante reconhecer que todos os métodos sérios primam por estimular o autoconhecimento e o aperfeiçoamento da natureza humana. Embora enfatizando diferentes aspectos metodológicos, todos caminham em uma só direção para alcançar a meta do yoga, trabalhando gradualmente com estados mais elevados da consciência (samádhi), a fim de libertar a humanidade dos condicionamentos que nos afligem e aprisionam (samskáras) e impelir nossa essência espiritual à plena dissolução das dualidades (kaivalya).

 

Abrangendo uma extensa gama de conhecimentos que esta filosofia milenar oferece, um Curso de Formação de Instrutores se firma na intenção de fortalecer o mercado de trabalho com profissionais comprometidos com uma visão ética e fidedigna desta arte oriental.

 

O objetivo dos cursos de formação é propiciar ao estudante os fundamentos históricos, filosóficos e vivenciais do yoga, promover a qualidade de vida, o crescimento humano e a capacitação didática para transmitir esta herança cultural tradicional milenar.

 

Neste processo o estudante passa a perceber o árduo caminho da evolução como fator importante ao desenvolvimento da sua força de vontade e determinação, se empenhando por ser cada vez melhor do que si mesmo, a fim de se tornar um instrumento sagrado de auxílio ao próximo.

 

Durante um bom curso de formação devem ser abordadas as filosofias afins que fornecem base à compreensão do Yoga, tais como o Sámkhya, o Tantra, o Vedánta e o Ayurveda, além de outras enraizadas na cultura hindu como o sânscrito, a mitologia, as escrituras sagradas, os rituais, as diversas escolas, os principais mestres, o sistema de castas e o vegetarianismo.

 

Quanto à prática, devem ser aplicadas todas as técnicas principais de pujás (oferenda), mudrás (gestos de poder), mantras (entoação de sons e ultrassons), kriyás (purificação das mucosas), ásanas (posições psicofísicas), bandhas (compressões de plexos nervosos e glândulas), drishtis (fixação ocular), dhárana (concentração), yoganidrá (descontração e relaxamento), dhyána (meditação) e outras complementares.

Show More

 

  Bases do Yoga Multidimensional

por Ceres Moura

 

 

O Yoga Multidimensional ensinado no coração do nosso curso tem sua base principal no Hatha Yoga, assim como a maioria dos métodos praticados hoje. No entanto, também incluímos técnicas e conceitos de outras linhas, valorizando tanto os métodos tradicionais antigos quanto conceitos complementares modernos. Além disso, por ser uma abordagem essencialmente holística, sintetiza atividades psicofísicas orientais e ocidentais.

 

 

Dentro dessa visão multidimensional e integrativa pontuamos que:

 

  1. O Yoga trabalha com o corpo físico, portanto aplica metodologia de integração multidisciplinar que engloba princípios profundamente relacionados com a Fisioterapia, Educação Física, Nutrição, Anatomia e Fisiologia, exigindo que o profissional de yoga amplie seus conhecimentos em todas essas áreas da saúde.

  2. O Yoga trabalha no campo da psique e das emoções, portanto interage com a Psicologia e com as diversas Psicoterapias, tendo como base o Yoga Sútra de Patáñjali e outros tratados yogis e ayurvedicos que versam sobre o funcionamento da mente.

  3. O Yoga é essencialmente uma atividade de reeducação dos indivíduos, portanto cria uma interface com a Educação, requisitando do profissional os conhecimentos fundamentais também no campo da Pedagogia e Didática.

  4. O Yoga é uma abordagem transdisciplinar que permite ampla flexibilidade de ações educativas, diversidade cultural e inclusão de diferentes públicos.  Portanto, o profissional que ensina esta disciplina deve se aprofundar em todos os ramos da imensa árvore do Yoga, formando uma visão ampla e integral para compartilhar com seus estudantes.

 

Seguimos a tradição do Hatha Yoga que nasceu no seio do tantrismo por volta do século X DC. Essa Escola Iniciática tem foco mais corporal e energético, sendo seus objetivos relacionados ao bem estar físico e à saúde geral, o que provavelmente o tornou tão popular, fazendo do yogi moderno um ser globalizado.

 

Na Abordagem Tântrica aplicamos exercícios sensoriais visando o despertar de uma vida espontânea, a conquista da sexualidade plena, a conexão com a natureza e a valorização dos aspectos matriarcais da humanidade: gerar, nutrir, amar, cuidar, cultivar e curar. Louvamos Shakti e Shiva, aspectos opostos e complementares, feminino e masculino presentes na natureza, no ser humano e no Universo.

 

Trabalhamos com a energia dos pancha maha bhútas (cinco grandes elementos), das nadís (correntes prânicas), dos chakras (centros de força) e do despertar da kundaliní (energia vital latente), sem a qual não existe samádhi (a iluminação da consciência).

 

Na Abordagem Terapêutica damos ênfase aos aspectos anatômicos e fisiológicos da prática, ressaltando os benefícios de cada técnica vivenciada para a saúde; induzimos a auto-observação, a aplicação de mentalizações criativas e afirmações para o equilíbrio e a promoção da saúde.

 

Também utilizamos conceitos e práticas do Ayurveda (nutrição, fitoterapia, aromaterapia, cromoterapia, gemoterapia e musicoterapia), além de outras Terapias Integrativas afins (danças sagradas, jogos cooperativos, taichi e massagens) que possam enriquecer o trabalho e expandir nossa visão da vida.